terça-feira, 16 de abril de 2013

Maiores Terremotos (e o Cinturão de fogo do Pacífico)


Olha aí pessoal, pra matar um pouco a curiosidade de vocês. Esse mapa do Cinturão de fogo do pacífico vem com a informação dos maiores terremotos registrados apontando os locais onde ocorreram e as placas tectônicas envolvidas.

Placas tectônicas (Juana - 6 ano I)



Placas Tectônicas são porções da crosta terrestre (litosfera) limitadas por zonas de convergência ou divergência.
Segundo a Teoria da “Tectônica das Placas”, a litosfera é constituída de placas que se movimentam interagindo entre si, o que ocasiona uma intensa atividade geológica, resultando em terremotos e vulcões nos limites das placas.
Atualmente considera-se a existência de 12 placas principais que podem se subdividir em placas menores. Elas são: Placa Eurasiática, Placa Indo-Australiana, Placa Filipina, Placa dos Cocos, Placa do Pacífico, Placa Norte-Americana, Placa Arábica, Placa de Nazca, Placa Sul-Americana, Placa Africana, Placa Antártica e Placa Caribeana.
Placas Tectônicas
Os movimentos das placas são devidos às “correntes de convecção” que ocorrem na astenosfera (camada logo abaixo da litosfera): as correntes de convecção são causadas pelo movimento ascendente dos materiais mais quentes do manto (magma) em direção à litosfera, que, ao chegar à base da litosfera, tende a se movimentar lateralmente e perder calor por causa da resistência desta e depois descer novamente dando lugar à mais material aquecido.
No meio dos oceanos Atlântico, Pacífico e Índico existem cordilheiras que chegam a atingir até 4000 mil metros acima do assoalho oceânico chamadas de Cordilheiras “Meso-oceânicas”. Estas cordilheiras se originam do afastamento das placas tectônicas nas chamadas “zonas de divergência”. São locais onde as correntes de convecção atuam em direções contrárias originando rupturas no assoalho oceânico pelas quais é expelido o magma da astenosfera. Dessa forma, ao esfriar, o magma (ou lava basáltica) causa a renovação do assoalho oceânico.
Outro tipo de movimento das placas tectônicas acontece nas chamadas “zonas de convergência” onde as placas se movimentam uma em direção à outra. Nesse caso, pode acontecer de uma placa afundar por sob a outra nas “zonas de subducção”. Isso acontece entre uma placa oceânica e uma placa continental porque a placa oceânica tende a ser mais densa que a placa continental o que faz com que ela seja “engolida” por esta última. Um exemplo é a zona de subducção da Placa de Nazca em colisão com a Placa continental Sul-Americana e responsável pela formação da Cordilheira Andina.
Quando o movimento de convergência ocorre entre duas placas continentais, ou seja, de igual densidade, ocorre o soerguimento de cadeias montanhosas como o Himalaia, por exemplo, que está na zona de convergência das placas continentais Euroasiática e Arábica.^

Lendas Urbanas (Henrique - 6 ano 2)



Lendas urbanas, mitos urbanos ou lendas contemporâneas são pequenas histórias de caráter fabuloso ou sensacionalista, amplamente divulgadas de forma oral, por e-mails ou pela imprensa e que constituem um tipo de folclore moderno. São frequentemente narradas como sendo fatos acontecidos a um "amigo de um amigo" ou de conhecimento público.

Muitas delas já são bastante antigas, tendo sofrido apenas pequenas alterações ao longo dos anos. Muitas foram mesmo traduzidas e incorporadas a outras culturas. É o caso, por exemplo, da história da loira do banheiro, lenda urbana brasileira que fala sobre o fantasma de uma garota jovem de pele muito branca e cabelos loiros que costuma ser avistada em banheiros, local onde teria se suicidado ou, em outras versões, sido assassinada.
Outras dessas histórias têm origem mais recente, como as que dão conta de homens seduzidos e drogados em espaços de diversão noturna que, ao acordarem no dia seguinte, descobrem que tiveram um de seus rins cirurgicamente extraído por uma quadrilha especializada na venda de órgãos humanos para transplante.
Muitas das lendas urbanas são, em sua origem, baseadas em fatos reais (ou preocupações legítimas), mas geralmente acabam distorcidas ao longo do tempo. Com o advento da Internet, muitas lendas passaram a ecoar de maneira tão intensa que se tornaram praticamente universais.

A lenda do Monstro do lago Ness fala que no Lago Ness, na Escócia, existe um monstro no formato de serpente gigante, sendo que a teoria mais aceita é de que se trate de um exemplar remanescente de uma espécie de Plesiossauro.[6]
Já a lenda do Pé-grande relata a existência de um macaco gigante de cor negra que pesa mais de 225 quilogramas e habita áreas próximas a costa noroeste do pacífico, na América do Norte.[7]
[editar]Criaturas
Existem diversas lendas sobre seres e criaturas como o Spring Heeled Jack, um personagem do folclore inglês que seria capaz de saltar extremamente alto.[8] Já a lenda da Maria Sangrenta (Bloody Mary), fala que se você chamá-la três ou mais vezes num banheiro com as luzes apagadas, ela lhe cegará.[9] Uma lenda feita para assombrar crianças é a do Velho do Saco, na qual um velho ou um cigano aparece quando uma criança vai brincar sozinha na rua e então a sequestra.
A lenda da Gangue do Palhaço começou quando um jornal lançou uma série sobre crimes, e citou um palhaço americano que nos anos 60 assassinava crianças. Então começou a ser passada adiante a lenda de que um palhaço de Osasco roubava órgãos em uma Kombiazul.[10]
Já a do Demônio de Jersey diz que quando uma mulher, muito provavelmente Deborah Smith, deu à luz seu 13º filho, ela invocou o diabo, transformando a criança em uma criatura demoníaca e voadora, representada na ilustração à direita. Há tambeim a mais famosa dela a do Capeta do Vilarinho,

Marte (Aluno: Juliano - 6 ano I)



Marte é o quarto planeta em distância em relação ao Sol e pode ser visualizado sem ajuda de  telescópio do planeta Terra. Tem uma atmosfera rarefeita e assemelha-se à Terra em vários aspectos. Sua atmosfera é formada de elementos tais como:  gás carbônico, nitrogênio, argônio e oxigênio. A temperatura média de Marte é de aproximadamente 59 graus Celsius negativos. Nos últimos anos tem sido o planeta mais estudado por agências espaciais do mundo todo, pois existem planos de buscar algum tipo de vida em marte e também projetos futuros e estudos para colonizar Marte. Grande parte destes projetos espaciais pertence a NASA.

Água em Marte
No ano de 2000, surgiu a primeira evidência de que havia água em Marte. Foram encontrados sinais de erosão no território marciano, indicando a existência de canais de água no subsolo marciano. Também foram encontradas amostras de gelo em Marte. Estes indícios aumentaram a esperança de que, futuramente, a NASA poderia enviar naves espaciais tripuladas para Marte, com o objetivo de colonizar o planeta vermelho. A água seria essencial para este propósito.

Existe Vida em Marte ?
As sondas enviadas pela NASA já fotografaram e examinaram milhares de substâncias em solo marciano. Após análises de diversos cientistas do mundo todo, ainda não podemos afirmar com segurança sobre a existência de vida em Marte. A existência de água em território marciano abre uma grande possibilidade dessa teoria ser comprovada, já que a água é a principal fonte para a existência de vida. Novos estudos e projetos poderão futuramente esclarecer mais sobre este polêmico tema.



Características de Marte:

Distância do Sol: 228.000.000 km
Duração do ano: 687 dias terrenos
Duração do dia: 24h36min
Diâmetro: 6.794 km
Massa: 0,107 vezes a massa da Terra
Satélites conhecidos: 2.
Velocidade orbital média: 24,13 km/s.


sexta-feira, 12 de abril de 2013

Os 10 maiores terremotos


Esta lista não se refere aos que causaram mais mortes e destruição, e sim aos de maior grau de magnitude (escala Richter) - intensidade.
Os terremotos ocorrem devido ao movimento das placas tectônicas do planeta. Este, registrado no Japão, deve entrar na lista dos mais violentos. Confira abaixo quais são, por enquanto, os 10 maiores terremotos já registrados* desde 1900.
1- 9.5 graus de Magnitude. Chile – 22 de Maio de 1960: 1.655 mortos, 3000 feridos, dois milhões de desabrigados e US$500 milhões de prejuízo ao país.
2- 9.2 graus de magnitude. Príncipe William, Alaska – 27 e 28 de março de 1964: 128 mortos (113 no tsunami e 15 no terremoto) e US$311 milhões em prejuízo.
3- 9.1 graus de magnitude. Costa Oeste do norte de Sumatra – 26 de dezembro de 2004: 227.898 mortos e 1,7 milhão de desabrigados no terremoto e tsunami que atingiu 14 países do sul da Ásia e leste da África.
4- 9.0 graus de magnitude. Península de Kamchatka, Rússia – 11 de abril de 1952:  gerou mais de US$1 milhão em prejuízos no Havaí.
5- 8.8 graus de Magnitude. Costa de Maule, Chile – 27 de fevereiro de 2010: pelo menos 521 mortos, 56 desaparecidos, 12 mil feridos, 800 mil desabrigados e 370 mil casas, 4.013 escolas e 79 hospitais danificados.
6- 8.8 graus de magnitude. Equador- 31 de janeiro de 1906 – entre 500 e 1500 mortos.
7- 8.7 graus de Magnitude. Alasca – 4 de fevereiro de 1965: causou prejuízos de US$10 mil.
8- 8.6 graus de magnitude. Norte de Sumatra, Indonésia – 28 de março de 2005: pelo menos 1400 mortos.
9- 8.6 graus de magnitude. Assam, Tibete – 15 de agosto de 1950: pelo menos 780 mortos e 70 vilas destruídas.
10-  8.6 graus de magnitude. Ilhas Andreanof, Alaska – 9 de março de 1957: abriu uma cratera de 4,5 metros e despertou um vulcão adormecido a 200 anos.
*Fonte: Serviço Geológico dos Estados Unidos.

A Força dos Tsunamis - Japão 2011


Este é o mapa com a referência do ponto exato do local do tremor de magnitude 8.9 (o maior na história do Japão e o sétimo maior da história. Este tremor causou o destruidor tsunami que varreu parte da costa japonesa em 2011. Pelo ponto indicado no mapa e com a ajuda do mapa das placas tectônicas que tem na página 160 da apostila de vocês, dá para identificar as duas placas tectônicas responsáveis por este tremor!!! Quem me responde esta pergunta? (Estou colocando o link de uma das imagens das águas do tsunami de 2011 - as demais eu deixo pra curiosidade de vocês - http://www.youtube.com/watch?v=ovGtbp9upz0) OBS: o outro vídeo que disse que ia postar não vou mais, porque depois percebi que era de um tsunami na Malasia, e não no Japão. Mas quem tiver curiosidade é só procurar.

quinta-feira, 11 de abril de 2013

Tsunamis (Izadora Maçaneiro dos Santos)


Tsunamis

  Os tsunamis são causados por terremotos submarinos e acontecem essencialmente nas zonas de fortes movimentos tectônicos, como algumas regiões do Pacífico e da Ásia. A onda, nascida do choque sísmico de cima para baixo da massa oceânica, tem várias centenas de metros de espessura e ganha energia toda vez que bate contra o solo submarino.
A velocidade de propagação de um tsunami no mar beira os 800 km/h. Massas de água gigantescas baixam em profundidade ao longo das deformações do solo marinho, ao contrário das ondas comuns, que afetam apenas a superfície da água.
Durante sua propagação no mar, uma onda perde muito pouca energia. Pode, portanto, percorrer distâncias consideráveis e destruir costas situadas a milhares de quilômetros de seu mecanismo gerador.Para se ter uma ideia, em 1960, um terremoto de 9,5 graus na escala Richter que atingiu o Chile desencadeou um tsunami devastador que chegou ao Japão.
Quando a onda se aproxima do litoral, a profundidade do mar diminui e provoca então um aumento de sua altura, que pode chegar a mais de 20 metros."A primeira onda tem a tendência de se retirar da costa. É um sinal precursor muito conhecido das tsunamis".A maior parte dos tsunamis é registrada depois de um terremoto.


sábado, 6 de abril de 2013

Júpiter (Aluna: Yasmim Schuab)


Saturno - Aluna (Carol Malossi - 6 ano II)


Saturno é o sexto planeta mais perto do Sol e também é o segundo maior planeta do Sistema Solar.Sua massa é 95 vezes a massa terrestre.Até agora tem 59 luas confirmadas,sete são redondas.Titã,a maior,é a única conhecida no Sistema Solar que possui atmosfera.O volume de Titã é o triplo do volume da nossa Lua.Saturno tem esse nome em homenagem ao deus romano da agricultura,o próprio Saturno,que,na mitologia grega é conhecido como Cronos,o titã e senhor do tempo.E esse é Saturno,o planeta conhecido por seus anéis.

O Sistema Solar (Aluna Milena Mafra - 6 ano II)




Saturno - (Aluno: Nícolas - 6 ano I)




SATURNO:
Saturno é o sexto planeta do Sistema Solar,com uma órbita localizada entre as órbitas de Júpiter e Urano. É o segundo maior planeta, após Júpiter, sendo um dos planetas gasosos do Sistema Solar, porém o de menor densidade, tanto que se existisse um oceano grande o bastante, Saturno flutuaria nele. Seu aspecto mais característico é seu brilhante sistema de anéis, o único visível da Terra. Seu nome provém do deus romano Saturno. Faz parte dos denominados planetas exteriores.
Saturno é um planeta gasoso, principalmente composto de hidrogênio (97%), com uma pequena proporção de hélio e outros elementos. Seu interior consiste de um pequeno núcleo rochoso e gelo, cercado por uma espessa camada de hidrogênio metálico e uma camada externa de gases. A atmosfera externa tem uma aparência suave, embora a velocidade do vento em Saturno possa chegar a 1.800 km/h, significativamente tão rápido como os de Júpiter, mas não tão rápidos como os de Netuno. Saturno tem um campo magnético planetário intermediário entre as forças da Terra e o poderoso campo ao redor de Júpiter.
Antes da invenção do telescópio, Saturno era o mais distante dos planetas conhecidos. A olho nu não parecia ser luminoso. O primeiro ao observar seus anéis foi Galileu em 1610, porém devido à baixa inclinação de seus anéis e à baixa resolução de seu telescópio lhe fizeram pensar a princípio que se tratava de grandes luas. Christiaan Huygens com melhores meios de observação pode em 1659 visualizar com clareza os anéis. James Cler Maxwell em 1859 demonstrou matematicamente que os anéis não poderiam ser um único objeto sólido, sendo que deveriam ser um agrupamento de milhões de partículas de menor tamanho.
O movimento de rotação em volta do seu eixo demora cerca de 10,5 horas, e cada revolução ao redor do Sol leva 29 anos terrestres.
em um número elevado de satélites, 61 descobertos até então, e está cercado por um complexo de anéis concêntricos, composto por dezenas de anéis individuais separados por intervalos, estando o mais exterior destes situado a 138 000 km do centro do planeta geralmente compostos por restos de meteoros e cristais de gelo. Alguns deles têm o tamanho de uma casa.
Saturno é um esferóide oblato (achatado nos pólos) - seus diâmetros polares e equatoriais variam por quase 10% (120 536 km contra 108 728 km). Este é o resultado de sua rápida rotação. Na linha do equador é notável uma pequena saliência, devido à velocidade de rotação. Os outros planetas gasosos também são oblatos, mas em um menor grau. Saturno é o único do sistema solar que é menos denso que a água, com uma densidade média de 0,69g/cm³.

sexta-feira, 5 de abril de 2013

Tiranossauro Rex (Aluno: Gustavo Oliari - 6 ano II)




- O Tiranossuaro Rex era uma espécie de dinossauro que viveu no final do período Cretáceo (145 milhões a 65 milhões de anos atrás).
- Habitou a região da América do Norte, principalmente o oeste dos Estados Unidos.
- Era um dinossauro bípede de pernas fortes e braços curtos (1 metro aproximadamente).
- Era carnívoro e muito feroz. Alimentava-se da carne de outros animais e dinossauros. Alguns paleontólogos defendem a idéia de que este dinossauro atacava, até mesmo, animais de sua espécie.
- Viviam em pequenos grupos formados pela família (macho, fêmea e filhotes).
- Possuia mandíbula grande e dentes muito fortes e afiados, sendo que eles tinham, em média, 20 cm. Usavam estes dentes para poder triturar os alimentos.
- Os machos costumavam lutar até a morte para conseguir o direito de copular com uma fêmea.
- O nome Tiranossuaro Rex significa "lagarto tirano rei". Nome atribuído pelos cientistas em função de sua ferocidade.

Comprimento: 13 metros (animal adulto). A cauda media de 5 a 6 metros.
Altura: 5 metros (animal adulto)
Peso: entre 4 e 6 toneladas (animal adulto).
Cor provável: verde escuro com manchas claras.
Velocidade: podia atingir (correndo) de 40 a 60 km/h. 

Via Láctea (Aluna: Tenile - 6 ano II)








Via Láctea, é uma galáxia espiral onde se encontra o Sistema Solar. É uma estrutura constituída por cerca de duzentos bilhões de estrelas (algumas estimativas colocam esse número no dobro, em torno de quatrocentos bilhões) e tem uma massa de cerca de 1 trilhão e 750 bilhões de massas solares. Sua idade está calculada em 13,6 bilhões de anos.

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Como se formam os diamantes?


(Fonte: Blog Poesie)


Os diamantes são minerais formados por um único elemento químico: o carbono. Devido à estrutura e às condições em que são formados, o diamante é a substância natural mais dura conhecida pelo homem. Na verdade, diamante é uma palavra de origem grega, derivada da palavra adamas, que significa indestrutível.

1. Formação de Diamantes no Manto Terrestre
Geólogos acreditam que todos os diamantes em depósitos que são explorados comercialmente se formaram no manto terrestre e ascenderam à superfície por meio de erupções vulcânicas.
São formados sob enorme pressão e temperatura, aproximadamente a 160 km da superfície em rochas chamada Peridotitos, Lherzolitos e Wehrlitos. Nessa região do manto, a temperatura é de aproximadamente 1050 C°.
Os diamantes formados no manto são estocados em uma zona de estabilidade de diamantes. Erupções vulcânicas muito profundas levam os diamantes à superfície da Terra. Esse tipo de evento é muito raro, sendo que nenhuma erupção desse tipo foi observada, desde que a ciência se tornou capaz de detectá-las. À medida que a mistura de magma, minerais e fragmentos de rocha se aproximam da superfície, uma estrutura de cano começa a se formar. Essa estrutura se chama Kimberlito. Eles são a fonte que os grandes mineradores diamante procuram.




2. Formação de Diamantes em Depressão Tectônica


A depressão tectônica ou zona de subducção é uma área onde uma placa tectônica é forçada para baixo de outra. As placas ficam sujeitas à temperatura e pressão muito elevadas. Diamantes já foram encontrados em placas que já estiveram por baixo de outra e, posteriormente, voltaram à superfície. No entanto, a quantidade encontrada nesse tipo de rocha é muito pequena e pouco conveniente para exploração comercial.

3. Formação de Diamantes em Zonas de Impacto de Asteroides


A Terra já foi – e ainda será – atingida repetidas vezes por grandes asteroides. A ciência acredita que a extinção dos dinossauros, por exemplo, tenha sido causada pela colisão de um asteroide na Terra. Esse tipo de evento cria temperatura e pressão altíssimas: condições ideais para formação de diamantes. De fato, pequenos diamantes já foram encontrados próximos a zonas de impacto. No entanto, a quantidade ofertada por esse tipo de fonte é praticamente desprezível.

4. Formação de Diamantes no Espaço


O universo é, sem dúvida, um fornecedor dos mais diversos tipos de materiais e elementos químicos. Diamantes também estão perdidos por aí, no espaço. Existem enormes estrelas de diamantes, como a estrela Lucy, por exemplo.

A NASA já encontrou micro diamantes – pequenos demais para uso na joalheria – em alguns meteoritos que chegaram à Terra.


quinta-feira, 21 de março de 2013

Os continentes

Olha aí o outro mapa que foi colocado na prova... agora colorido. Mostra bem a divisão continental e dá um bom contraste com o fundo branco (que neste caso estariam representando os oceanos). Bom para exercitar a localização dos continentes e oceanos. Neste aqui percebemos a divisão entre a Europa (Azul) e a Ásia (Amarelo). Observar também que não visualizamos aqui a Antártica.

Prova 1 - Mapa de Hogwarts

Olha Aí o Mapa de Hogwarts! Para os alunos que me pediram o mapa que a gente usou pra responder as questões 7, 8, 9 e 10 da prova.

Visão Noturna da Terra (Fonte: Nasa)


Esta imagem nos oferece uma boa idéia do povoamento e da densidade populacional no mundo. Através dos focos de luz podemos perceber os continentes e suas áreas mais habitadas. Vocês conseguem perceber os países mais habitados e (porque não?) as cidades mais habitadas?